TPM: conjunto de sintomas físicos e emocionais que antecedem o período menstrual

A Tensão Pré-Menstrual, mais conhecida como TPM, é um transtorno que afeta cada vez mais mulheres em fase reprodutiva (entre 25 e 35 anos)¹. Estudos apontam que a tensão pré-menstrual está relacionada à queda de um hormônio chamado estrogênio².
  
Os sintomas mais comuns dessa fase são: irritabilidade, instabilidade emocional, indisposição, inchaço, dores abdominais e nas mamas, cansaço e apatia sem motivos aparentes, mudanças súbitas de humor, tendência depressiva, aumento da ansiedade e dor de cabeça¹,². 
 
Confira as respostas de perguntas e algumas curiosidades comuns em torno desse assunto!   

♥ A cólica menstrual tem associação com a TPM? 

Na verdade, a cólica menstrual tem a ver com um hormônio chamado prostaglandina. A produção desse hormônio provoca contrações no útero, que gera as dores3 que sentimos. A cólica menstrual é um dos principais sintomas da TPM².  

♥ Sabia que alimentos que contêm cálcio são seus grandes aliados contra a cólica e a TPM? 

Estudos mostram que o nível de cálcio no organismo é mais baixo no período antes da menstruação e que o consumo saudável e diário dessa substância traz benefícios para o corpo, agindo diretamente sobre os principais sintomas da TPM (dores, irritabilidade e ansiedade)¹.   
Então, a dica é apostar no consumo de alimentos ricos em cálcio, principalmente os vegetais verde-escuro, como o agrião e a rúcula, o leite e seus derivados. Corre pra feira!  

♥ Como os exercícios físicos ajudam a melhorar se eu estou indisposta? 

Uma razão pela qual muitas de nós sentem cólica é a falta de exercício regular - o sedentarismo. Os exercícios podem fortalecer os músculos da região pélvica. Isso ajuda a reduzir a dor das contrações do útero. Além disso, o esforço físico faz com que os vasos sanguíneos do útero se dilatem, facilitando a passagem do sangue⁴. 
A prevenção é a melhor atitude contra a dor recorrente! Seja ioga, ciclismo, dança, artes marciais, o que importa é que você se sinta à vontade com a atividade escolhida e aproveite como um momento de lazer. 
Além do mais, quando você se exercita, a concentração de endorfinas no sangue aumenta. Esses hormônios geram a sensação de prazer e euforia, ajudando a esquecer o desconforto⁴. E aí? Qual é o seu esporte preferido contra a cólica?  

♥  Existe alguma técnica de respiração que ajude a relaxar? 

Existem técnicas de controle de respiração que podem ajudar a relaxar, sim. Claro que isso varia de pessoa para pessoa, mas não custa tentar, né? Vamos lá!  
1 - Deite-se confortavelmente de costas e ponha uma das mãos sobre o abdômen.
2-  Feche os olhos e inspire profundamente, de maneira tranquila. Você vai sentir a elevação da mão sobre o abdômen. 
3 - Depois, solte o ar pela boca o mais devagar que você conseguir. Concentre-se sempre na respiração.  
Repita esse procedimento algumas vezes, até você se sentir mais relaxada. Reserve alguns momentos do seu dia para você e experimente essa técnica. Você pode se sentir bem melhor. :)  

♥ A acupuntura ajuda realmente na cólica menstrual? Como funciona?

A acupuntura consiste em pequenas agulhas aplicadas em determinados pontos do corpo, e é indicada tanto para aliviar as dores como para prevenir o surgimento delas. Utilizando o método de acupuntura, da medicina tradicional chinesa, é possível amenizar as dores da cólica menstrual e da TPM, além de melhorar o fluxo menstrual.  
A dica é usar a acupuntura como um tratamento complementar aos tratamentos indicados por seu médico ginecologista. ;)  

Estudos apontam que a tensão pré-menstrual está relacionada à queda de um hormônio chamado estrogênio².

Referências: 

1) Paiva S.P.C., Paula L.B., Nascimento L.L.O. Tensão Pré-Menstrual (TPM): Uma revisão baseada em evidências científicas [Internet]. Femina. 2010 [acesso em 02 de setembro de 2016]. Disponível em: http://www.febrasgo.org.br/site/wpsubtitle/uploads/2013/05/Femina_v38n6_p311-51.pdf

2) Muramatsu, C.H., Vieira, O.C.S., Simões, C.C., Katayama, D.A., Nakagawa, F.H. Consequências da Síndrome da Tensão Pré-menstrual na vida da mulher [Internet]. Rev Esc Enferm USP. 2001. [Acesso em 02 de setembro de 2016] Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v35n3/v35n3a01

3) Borges, P.C.G., Ramos, J.F.D., Depes, D.B., Yatabe, S., Damião, R.S., Lopes, R.G.C., Lippi, U.G. Dismenorréia e endométrio [Internet]. Femina. 2007. [Acesso em 02 de setembro de 2016] Disponível em: http://www.febrasgo.org.br/site/wpsubtitle/uploads/2013/05/Femina-12_dezembro_789.pdf

4) Quintana LM, Heiz LN, Portes LA, et al. Influência do nível de atividade física na dismenorréia [Internet]. Rev Bras Ativ Fis Saude. 2010; [Acesso em 02 de setembro de 2016]
Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132012000200004

5) Gerzson, L.R., Padilha, J.F., Braz, M.M., Gasparetto, A. Fisioterapia na dismenorreia primária: revisão de literatura [Internet]. Rev. dor. 2014. [Acesso em: 02 de setembro de 2016] Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S180600132014000400290&script=sci_arttext&tlng=pt