O que é endometriose, e como ela afeta as cólicas menstruais? 

Até certo ponto, as cólicas menstruais que aparecem durante a menstruação são normais e fazem parte do nosso ciclo menstrual. As cólicas podem ser divididas em dismenorreia primária, que é a cólica usual; e secundária, que é causada por alguma condição ou doença envolvendo a região da pélvis¹.

O que você precisa saber sobre a endometriose 

A endometriose é uma das causadoras mais comuns de dismenorreia secundária¹. Essa doença tem relação direta com o endométrio- a camada interna do útero: é caracterizada pelo crescimento de tecido endometrial fora do útero, ocorrendo em cerca de 10% a 15% do total de mulheres².

Os principais sintomas são a dismenorreia com duração maior do que um dia, dor pélvica crônica e dor profunda durante as relações sexuais². Em alguns casos ela pode causar até mesmo infertilidade².

A endometriose precisa de acompanhamento médico, que pode receitar uma série de alternativas de tratamento, seja ele medicamentoso, cirúrgico e de conduta expectante² (manter o paciente em observação ativa para acompanhar os sintomas). Vale lembrar que mesmo a dismenorreia primária pode causar cólicas muito intensas, o que justifica consultar seu médico para o tratamento adequado.

Fique atenta às cólicas 

A primária é um dos sintomas mais comuns da TPM, ocorrendo nos ciclos menstruais e geralmente tendo início de 6 a 12 meses após a primeira menstruação¹. O principal sintoma é a cólica no ventre , que pode ser acompanhada de dores  na região lombar, mas também pode rolar náuseas, diarreia e dor de cabeça¹.

É importante ficar atenta à duração desses sintomas. Na dismenorreia primária, permanecem de algumas horas a um dia¹. Alterações nesse padrão podem indicar alguma anormalidade e devem receber acompanhamento médico.

Visite regularmente seu ginecologista

Muitas vezes, podemos acabar negligenciando alguma situação que precisa de acompanhamento médico. Por isso, manter a visita regular ao ginecologista é fundamental. O exame e as perguntas que o médico faz durante a consulta ajudam a diagnosticar possíveis anormalidades relacionadas à menstruação.

Caso não haja nenhum sintoma anormal, a consulta é importante para verificar se está tudo bem, tirar dúvidas e até estreitar a relação com o profissional com quem se consulta.

Essa doença tem relação direta com o endométrio- a camada interna do útero: é caracterizada pelo crescimento de tecido endometrial fora do útero, ocorrendo em cerca de 10% a 15% do total de mulheres².

Referências:

1) Borges PCG, Ramos JFD, Depes DB,  et al. Dismenorreia e endométrio. FEMINA. 2007:35(12):789-795.

2) Monterio NF, Tambellin SEM, Santos ALF. Como diagnosticar e tratar: endometriose. Rev Bras de Med.2012;69(1):5-8. .