Fome na TPM

Basta a TPM chegar que o apetite aumenta. Verdade ou mito? Muitas mulheres reclamam de sentir fome demais no período pré-menstrual, mas de onde vem toda esta vontade de comer?

Sentir aquela fome descontrolada na tensão pré-menstrual não é lenda¹. Neste período, a compulsão por comida realmente aumenta. Isso acontece porque o corpo perde ou deixa de produzir alguns nutrientes essenciais e, na ânsia de recuperá-los, sentimos mais fome. O apetite aumenta, principalmente por aqueles alimentos que contêm os nutrientes que estão em falta no organismo.

Quando estamos perto de menstruar, passamos por diversas alterações hormonais. E uma delas é a queda da serotonina, o hormônio do bem-estar². Para produzi-la, o organismo precisa de uma substância chamada triptofano, que é encontrada em alimentos como o chocolate, a banana e o queijo. Ao comer estes alimentos, acionamos áreas do cérebro responsáveis pela sensação de prazer. Além do triptofano, outros nutrientes escassos no período pré-menstrual são o magnésio, o cálcio e o ferro¹ - que são encontrados nas carnes, no leite, em sementes e no ovo.

É por isso que, na TPM, comer traz uma sensação reconfortante. De certa forma, estamos repondo aqueles nutrientes que nos fazem falta. E no caso da gula por doces e pelos demais alimentos ricos em carboidratos, temos uma recompensa maior, que é a produção do hormônio do bem-estar.

Chocolate, brigadeiro, pizza, macarrão… Huuummmm! Que fome! Mas, calma… Tem como ser feliz na TPM sem pegar pesado. Deixe de lado os alimentos muito gordurosos e fique com aqueles mais saudáveis.

Dica: a banana é uma fruta rica em vitamina B6, triptofano e magnésio. Substitua as sobremesas por uma banana polvilhada com canela, para regular os níveis de açúcar do sangue e ficar de bem com a vida.

Sentir aquela fome descontrolada na tensão pré-menstrual não é lenda¹. Neste período, a compulsão por comida realmente aumenta.

Referências:

1. Sampaio H. Aspectos nutricionais relacionados ao ciclo menstrual. Revista de Nutrição. 2002 Set-dez; 15(3):309-317.

2. Pires MLN; Calil HM. Associação entre Transtorno Disfórico Pré-menstrual e Transtornos Depressivos. Revista Brasileira Psiquiatria. 1999; 21(2).